CORONAVÍRUS - APÓS FUNCIONÁRIO DA GARAGEM MUNICIPAL CONTRAIR COVID, COLEGAS TEMEM SER INFECTADOS

Atualizado: Jun 6

O momento crítico leva a 'sentimentos caninos', com funcionários públicos se sentindo igual a cachorro que cai da mudança


Aristides Barros



A condição de trabalho degradante na Garagem Municipal de Bertioga, localizada no bairro do Indaiá, já é conhecida pela Prefeitura de Bertioga, que há quase dois anos foi ordenada pelo MPT-SP (Ministério Público do Trabalho do Estado de São Paulo) para arrumar a situação, só que não arrumou. Caso fizesse isso, possibilitaria aos cerca de 30 funcionários do setor o resgate da dignidade humana.


As reivindicações de melhorias, endossadas pelo MPT e desobedecidas pela prefeitura continuam. Entretanto, depois que um funcionário que transitava diariamente no local contraiu a Covid-19, a Garagem Municipal além do resgate da dignidade humana tem, agora, um pedido mais abrangente que é o próprio direito à vida.


Eles se queixam da falta de sabão para lavar as mãos e que têm máscaras para se proteger no local de trabalho, porque compram com dinheiro do próprio bolso, quando deveria ser a prefeitura a responsável pelo fornecimento dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).


RECEIO - Logo que souberam que o colega foi infectado pelo coronavírus todos tremeram da cabeça aos pés, preocupados com a possibilidade de ter contraído o vírus. E a situação que já é difícil piorou. A prefeitura que sequer obedece uma ordem judicial não deu sinais de que vai realizar melhorias nas condições de trabalho. Com isso surge na Garagem Municipal um "sentimento canino".


"Me sinto abandonado, pior que um cachorro quando cai da mudança e fica sem saber para onde ir e o que fazer", disse um funcionário. O anonimato é para não sofrer represálias. A frase ilustra a perda da dignidade humana em um local cujas condições degradantes de trabalho também trazem à mente as histórias de campos de concentração, onde as pessoas trabalhavam e morriam.


O site Efeito Letal vem divulgando a situação da Garagem Municipal de Bertioga que também foi alvo de reportagens de vários veículos de imprensa da região e de São Paulo. Veja no link. https://www.efeitoletal.com.br/post/sem-conversa-prefeitura-recusou-melhorar-condições-de-trabalho-de-servidores


INTERNADO - O funcionário público municipal infectado pelo coronavírus foi internado na Santa Casa de Santos. Segundo informações partidas de seus colegas, ele está "entubado" na UTI (Unidade de Tratamento) daquela unidade médica. Todos torcem pela sua recuperação.


O QUE DIZ A PREFEITURA - A reportagem entrou em contato com a prefeitura bertioguense indagando se a administração não fornece os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) aos funcionários públicos municipais.


Também perguntou por que a administração desobedeceu a ordem do Ministério Público do Trabalho determinando a realização de serviços de melhorias na Garagem Municipal. A Prefeitura de Bertioga não se manifestou e o espaço fica aberta para que ela dê sua versão.


PREFEITURA ENVIA MATERIAL DE HIGIENE PARA OS FUNCIONÁRIOS


Após a publicação da reportagem expondo a situação crítica dos servidores públicos a prefeitura tratou de fornecer os produtos para a higienização dos funcionários que trabalham no local. "Colocaram sabão na cozinha e nos banheiros e álcool gel por todos os lugares. Também colocaram uma bomba com água, sabão e cloro, para usar quando formos no escritório. Já foram pedidas as máscaras", contou o anônimo. O funcionário público que contraiu a doença continua internado na Santa Casa de Santos, e de acordo com informações do colega de trabalho, os familiares do servidor público disseram que "os médicos estão diminuindo a medicação para ver como o ele vai reagir".

569 visualizações

Editor: Aristides Barros 

Co-editor: Joacir Gonçalves 

Contato: redacaoefeitoletal@gmail.com

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • YouTube